• Notícias

Pecuária nacional perde Rambo da MN, que integrava a bateria Nelore da Lagoa

Corte Zebu 10 de abril de 2006

Print Friendly and PDF

A pecuária de corte nacional perdeu um grande reprodutor no mês de março. Morreu aos 16 anos Rambo da MN, da raça Nelore, grande destaque da linhagem Lemgruber. O touro pertencia a Cipec Agropecuária, de Uberaba (MG), que também era proprietária de 1646 da MN e ainda conta com B-8369, filho de Rambo, disponível na bateria Lagoa.

Provado positivo nos cinco principais sumários da raça, o reprodutor se destacou como pai de fêmeas de alta habilidade maternal e contribuiu para a pecuária transmitindo muita musculatura. “Rambo era um dos maiores representantes da linhagem Lemgruber e, no rebanho de pista, foi utilizado como opção de pedigree, tendo pelagem firme e carcaça moderna”, informa Ricardo Abreu, gerente de produto Corte/Zebu da Lagoa.

Com mais de 45 mil doses comercializadas em toda sua vida produtiva, Rambo possui mais de quatro mil filhos avaliados no PAINT, o programa de melhoramento genético da Lagoa. “B-8369, seu filho, é a continuidade desta genética superior, com sêmen sexado disponível”, informa Abreu.

Lucio Cornachini, vice-presidente da Lagoa, lamenta a morte do reprodutor e também ressalta a genética disponível de seu filho, B-8369. “A raça perdeu um grande exemplar da linhagem Lemgruber. Graças à inseminação artificial ainda temos doses de Rambo em nosso estoque, mas o futuro está na utilização de B-8369”, destaca.