• Notícias

Grupo CRV anuncia três grandes inovações nas provas da raça Holandesa

Thell de Castro Leite Europeu 4 de abril de 2018

Print Friendly and PDF





Confira perguntas e respostas sobre as mudanças

Faça download de um e-book exclusivo sobre as mudanças

O Grupo CRV anuncia três grandes inovações nas provas de abril de 2018 da raça Holandesa. As mudanças envolvem a fórmula do NVI, uma nova estimativa de longevidade e aumento da população de referência.

Confira:

Fórmula do NVI

O primeiro ajuste acontece na fórmula do NVI. Foi dada maior importância para os itens produção e fertilidade. Antes, a produção representava 26% do índice, enquanto agora será 31%; já a fertilidade sobe de 14% para 16%.

Também foram incluídos nas provas dados de eficiência alimentar e sanidade de casco.

Com isso, será dado maior foco aos índices exclusivos da CRV, Vida + Eficiente e Vida + Saudável, introduzidos em 2013 como indicadores práticos destinados a ajudar os produtores a obterem maior eficiência e facilitar o gerenciamento dos rebanhos.

Com o índice Vida + Saudável é possível obter um rebanho saudável e de fácil manejo, que permanece produzindo à medida em que as vacas envelhecem, oferecendo maior retorno sobre o investimento e melhorando as margens de lucro. Isso porque, gastando menos tempo no manejo individual de vacas, o criador tem mais tempo para gerenciar todo o seu rebanho.

Já o índice Vida + Eficiente foca na criação de vacas mais produtivas e persistentes, com partos regulares e consumo moderado de alimentos. É possível criar vacas com maior produção de leite por unidade de alimento ingerido, com elevada produção vitalícia.

“Dessa forma, o NVI ficou ainda mais ajustado aos objetivos de seleção da CRV: vacas eficientes, saudáveis e de fácil manejo, beneficiando os produtores do mundo todo, inclusive do Brasil”, destaca Wiliam Tabchoury, gerente de Contas Leite da CRV Lagoa.



Nova estimativa de longevidade

Foi criado um novo método para estimativa da longevidade, considerando que os riscos e as razões de descartes mudam durante a vida do animal.

Foram incluídas as curvas de sobrevivência; as vacas ainda vivas passam a fornecer informações; e os touros jovens agora contam com características como mastite subclínica, sanidade de cascos e locomoção.

A mudança se deu porque a progressão do valor genético da longevidade difere para cada touro. “Os fatores que determinam abate e, portanto, longevidade, mudam ao longo do curso de vida dos animais. As razões para descarte de uma novilha são diferentes do que uma vaca mais velha. Vale ressaltar, ainda, que os valores para touros jovens agora serão estimados mais precisamente”, explica Tabchoury.

População de referência ainda mais robusta

A população de referência para definição dos dados das provas ficou ainda mais robusta com a inclusão de 90 mil vacas genotipadas, que se juntam aos 35 mil touros atualmente computados.

Dessa forma, as provas ficam mais estáveis e confiáveis em todos os valores preditos pelo Grupo CRV. Quanto maior a população de referencia, mais confiável e precisa é a prova.

“Agora podemos vincular marcadores de forma ainda mais precisa para traços específicos dos animais. O valor genético real de vacas e touros pode ser estimado de maneira mais confiável e a estabilidade desses valores são aumentados. Os animais geneticamente superiores alcançarão maiores pontuações mais facilmente, enquanto os inferiores mostrarão pontuações claramente mais baixas”, define o gerente.

As novas provas podem ser conferidas no site crvlagoa.com.br. A equipe de colaboradores e consultores de campo da CRV Lagoa está pronta para tirar dúvidas e mostrar exemplos práticos aos produtores que desejam incrementar o gerenciamento inteligente de seus rebanhos.

Confira perguntas e respostas sobre as mudanças (clique aqui)

Faça download de um e-book exclusivo sobre as mudanças (clique aqui ou na imagem abaixo)