• Notícias

Pecuária de corte nacional perde 1713 da Laçada

Thell de Castro Corte Zebu 27 de fevereiro de 2018

Print Friendly and PDF



Morreu no dia 26 de fevereiro o reprodutor 1713 da Laçada, reprodutor da raça Nelore e integrante da bateria da CRV Lagoa, no auge de seus 12 anos de idade.

Fruto da seleção da Fazenda Laçada, sob a batuta do competente Beto Guimarães, 1713 foi identificado precocemente pelo departamento de Corte da CRV Lagoa na Prova de Ganho de Peso Embrapa Cerrados.

Na mesma época, atento ao potencial do touro, o pecuarista Humberto Tavares se tornou sócio na propriedade do reprodutor. Logo após o leilão, ainda bastante jovem, 1713 da Laçada coletou sêmen e foi usado em diversos programas de melhoramento da raça Nelore.

“O touro sempre impressionou pelo volume de musculatura e pela enorme capacidade de aumentar a profundidade de costelas de seus produtos, somando-se, ainda, o fato de ter genealogia muito interessante, e provas, independente do sumário, muito boas”, ressalta Caio Tristão, gerente de produto Corte Zebu da CRV Lagoa.

Responsável também por imprimir precocidade sexual e comprovada qualidade de carcaça, especialmente deposição de gordura, foi amplamente utilizado por rebanhos de diferentes níveis de intensificação de produção.

Possui progênie superior identificada em diversos programas de melhoramento, tendo dois filhos e um neto na bateria da CRV Lagoa: Heringer Musgo, selecionado na edição 2015 do CP CRV Lagoa, Jubileu da Peça Rara, destaque nas avaliações genômicas, oriundo do núcleo PO do PAINT e, como avô materno, Dólar FVC, contratação de 2017, destaque ANCP da safra 2015.

Pensando em maximizar o uso do 1713 da Laçada no seu rebanho, a CRV Lagoa prepara uma condição especial diferenciada de suas doses de sêmen, que será anunciada em breve.