• Centro do Saber

Passo a passo da IA

CRV Lagoa Centro do Saber

EXAMES PRÉ-INSEMINAÇÃO

• Antes de inseminar, verifique na ficha se a vaca está parida há mais de 45 dias, se tem apresentado cios normais e se já recebeu a segunda inseminação. Nesse último caso, pode se optar pelo repasse com touro;

• Se as informações da ficha estão de acordo, já com o animal no tronco, proceder a um rigoroso exame na vaca, procurando observar as condições do muco eliminado através da vulva. Normalmente, este exame é o bastante para se concluir sobre a qualidade do cio. O muco normal que reflete um cio de boa qualidade é semelhante a uma clara de ovo: límpido, transparente, brilhante e de consistência nem rala nem espessa;

• É importante lembrar que no pré-cio e início do cio, quando o animal monta mais frequentemente, todo o muco pode ser eliminado. Assim, ao final do cio, quando se vai fazer a inseminação, pode-se não mais ser observada a presença do muco. Por esta razão, quando possível, é de fundamental importância que o muco seja examinado já no momento da detecção do cio;

• Quando o animal apresenta infecções uterinas, chamado "cio sujo", o muco ao exame mostra sinais visíveis de infecção, vindo sempre acompanhado de grumos de pus ou estrias de sangue preto "pisado" ou coagulado. Em situações como esta, o inseminador não deve inseminar, porque o útero do animal não está em condições de desenvolver uma gestação. É importante comunicar o fato ao responsável técnico que saberá como proceder corretamente;

• Se a fêmea, após os exames citados, apresentar-se em condições de ser inseminada, é fundamental que o inseminador trabalhe obedecendo uma determinada ordem, conforme segue, para que tudo transcorra da maneira ideal.

SEQUÊNCIA DA INSEMINAÇÃO

1 - Examine a ficha da vaca. Contenha o animal no tronco. Faça o exame do muco;

2 - Exteriorize a ponta da bainha através de uma pequena abertura no saco plástico do lado da extremidade onde deverá penetrar o aplicador. Prepare o aplicador, verificando a extremidade que será utilizada e retire o êmbolo metálico de seu interior, colocando-o ao lado. Esta atitude evitará que o êmbolo metálico possa empurrar a bucha da palheta antecipadamente, fazendo perder parte ou todo o sêmen contido na embalagem. Prepare um cortador de palheta e papel toalha;

3 - Faça a limpeza do reto da fêmea a ser inseminada. Logo após, utilizando somente água, lave bem os órgãos genitais externos e enxugue-os com papel higiênico;

4 - Localize o sêmen a ser usado e abra a tampa do botijão. Levante a caneca contendo o sêmen, até no máximo 7 cm abaixo da boca do botijão. Retire a dose de sêmen com auxílio de uma pinça;

5 - Em seguida, mergulhe a palheta, com a extremidade da bucha voltada para baixo, em água a 35º Celsius (o nível da água deve cobrir totalmente a palheta): sêmen acondicionado em palheta média descongelar por 30 segundos; sêmen acondicionado em palheta fina descongelar por 20 segundos;

6 - Enxugue a palheta com papel toalha e corte com a lâmina na extremidade oposta à da bucha.

Palheta fina: o corte deve ser feito de forma reta
Palheta média: o corte deve ser feito em forma de bisel (inclinado)

7 - Pressione levemente o êmbolo plástico da bainha com uma das mãos e encaixe nele a extremidade cortada da palheta até que esta se firme. Este procedimento evitará que o sêmen possa refluir entre a bainha e a palheta no momento da aplicação;

8 - Introduza o aplicador na bainha, empurrando a palheta até a ponta. Fixe a bainha no aplicador através de pressão no anel plástico. Observar que o aplicador universal possui extremidades de diâmetros diferentes. A extremidade com diâmetro menor deve ser usada para encaixe da palheta fina e a extremidade de diâmetro maior para encaixe da palheta média;

9 - Encaixe o êmbolo metálico introduzindo-o vagarosamente até onde está situada a bucha da palheta. Após colocar a luva de inseminação artificial, dirija-se à vaca, com o aplicador devidamente montado, tomando todos os cuidados de higiene;

10 - Abra a vulva da vaca e introduza (ângulo 45°) profundamente, o aplicador na vagina. Com um auxiliar, esta operação será facilitada;

11 - Introduza delicadamente a mão esquerda no reto do animal, fixando a cérvix. Oriente a introdução do aplicador até a entrada da abertura da cérvix. A partir daí, fazer movimentos com a mão, que fixa a cérvix, e não com o aparelho, até a completa passagem deste através de todos os anéis da cérvix;

12 - Passando a cérvix, deposite lentamente o sêmen após o último anel. Enquanto vai aplicando lentamente o sêmen vá dizendo: "É mais um excelente bezerro de inseminação, produto dos reprodutores da CRV Lagoa";

13 - Retire o aplicador e o braço e faça uma leve massagem no clitóris da fêmea;

14 - Libere a bainha utilizada e anote os dados contidos na palheta em ficha própria. Logo após, envolva a bainha na luva e jogue-as no lixo. Periodicamente, fazer a limpeza do aplicador universal com álcool;

15 - Após a inseminação, realize a anotação de todas as informações da palheta na ficha de campo.

Clique aqui para fazer o download da planilha de controle de doses

DICAS PARA O INSEMINADOR

• Seja dedicado, responsável e interessado por todos os trabalhos;

• Trabalhe sempre observando todos os cuidados de higiene aprendidos durante o curso;

• Seja rigoroso no horário das observações do cio e das inseminações;

• Anote sempre todas as ocorrências e dúvidas verificadas em seu trabalho e procure esclarecê-las com o veterinário, por ocasião da sua visita à fazenda;

• Antes de inseminar, observe a ficha da vaca e verifique se ela está parida há mais de 45 dias, se está ciclando normalmente e se já foi inseminada 2 vezes (neste caso poderá optar pelo repasse com o touro);

• Ao manejar o botijão e o sêmen, observe atentamente: levante a caneca no máximo até 7 cm abaixo da boca do botijão. Retire rapidamente o sêmen (palheta) com o auxílio de uma pinça. Imediatamente após, mergulhe totalmente a palheta com a extremidade da bucha voltada para baixo em água a 35º C, durante 30 segundos para a palheta média, ou 20 segundos para a palheta fina;

• Antes de introduzir o aplicador na vagina da vaca, lave com água e seque bem a vulva. Não permita que a ponta do aplicador toque os lábios da vulva;

• Faça movimentos suaves com a mão que envolve a cérvix, até o aplicador ultrapassar todos os anéis da cérvix uterina;

• Deposite, lentamente, o sêmen no início do corpo uterino.